Siga-nos:

Relações Contemporâneas: Poliamor, Swing e Relações Abertas

Relações Contemporâneas: Poliamor, Swing e Relações Abertas

Poliamor

O poliamor é uma nova modalidade de relação amorosa e significa a prática e o desejo de ter mais de uma relação íntima ao mesmo tempo, com o conhecimento e consentimento de todas as partes envolvidas. É uma prática moderna não-monogâmica, ética e consensual que defende ser possível e aceitável amar várias pessoas ao mesmo tempo e manter múltiplos relacionamentos íntimos[1], desde que não sejam sexualmente exclusivas, ou seja, desde que não tenha como fins somente e unicamente a relação sexual[2,3]. De facto, ter muitas relações sexuais não é o objectivo dos praticantes do poliamor, sendo que, possivelmente, a maioria deles tem menos parceiros sexuais que pessoas que afirmam ser monogâmicas[4].

Habitualmente, este tipo de relacionamento é idealmente construído sobre valores de lealdade, honestidade, confiança, negociação de limites, capacidade em superar o ciúme e a possessividade, comunicação, auto-responsabilidade, emoção e intimidade[5]. Geralmente os praticantes do poliamor são confundidos com as pessoas interessadas em sexo casual, no swing e nas relações abertas.

Swing

O swing, ou troca de casais, é um comportamento não-monogâmico em que ambos os parceiros, envolvidos num relacionamento amoroso, aceitam, como casal, envolver-se em actividades sexuais com outro(s) casal(ais). As razões que levam os parceiros a participar nas actividades sexuais não são necessariamente as mesmas: uns poderão envolver-se nestas actividades por curiosidade; outros poderão fazê-lo para satisfazer o seu desejo sexual ou as suas fantasias; há quem possa envolver-se nestas actividades porque consideram-nas como interacções sociais; outros poderão participar nestas actividades com o objectivo de satisfazer os desejos, as necessidades e/ou as fantasias do(a) seu(sua) parceiro(a), sendo que esta última poderá conduzir ao surgimento de mal-estar e problemas no casal ou, pelo menos, no membro do casal que vai cedendo com o objectivo de agradar o outro.

Como regra geral, os casais praticantes de swing envolvem-se em actividades sexuais convencionais com outros parceiros, sendo que estas actividades poderão variar desde práticas com penetração, definidas como troca completa (full swap), a práticas sem penetração (e.g. masturbação, sexo oral), referidas como trocas suaves (soft swap).

A diferença entre o poliamor e o swing é de que no swing, habitualmente, as pessoas não se apaixonam por outras, enquanto no poliamor existe a partilha de sentimentos amorosos por várias pessoas que se respeitam e amam-se mutuamente.

Relação Aberta

A definição de relação abertapressupõe a existência de um casal em que os participantes são livres para terem outros parceiros sexuais. Tal como o swing, a relação aberta diferencia-se do poliamor, na medida em que na relação aberta não existe exclusividade sexual, sendo que no poliamor esta não exclusividade refere-se à partilha de afectos e não à sexualidade.

Dra. Sofia Melo Refoios

 

1, 2 – Barker, M. (2005). This is my partner, and this is my partner’s partner: constructing a polyamorous identity in a monogamous world. Journal of Constructivist Psychology, 18,75-88.

3, 4, 5 – Klesse, C. (2006). Poliamory and its ‘others’: contesting the terms of non-monogamy. Sexualities, 9(5), 565-583.

Poliamor